10 cidades sustentáveis do mundo

Luana Caires
08.09.2011

Reykjavik é 100% abastecida por energia renovável, foto: Benjamin Dumas

Se transformar em uma cidade sustentável está longe de ser uma tarefa fácil, mas também não é impossível. ((o)) Eco selecionou 10 localidades que podem até não serem ecologicamente perfeitas, mas são exemplos de que é possível diminuir o impacto ambiental de um centro em urbano optando por um planejamento que inclua o verde em sua paisagem e preze por formas mais sustentáveis de organização. Confira a seguir o que foi ou tem sido feito para tornar essas urbes mais “verdes”.

1. Reykjavik, Islândia 

Há mais de 50 anos a Islândia tem se empenhado em diminuir sua dependência de combustíveis fósseis aproveitando seu potencial natural para a geração de eletricidade. Não é de se estranhar que sua capital seja 100% abastecida por energia limpa e de baixo custo. Parte dos veículos da cidade já são movidos a hidrogênio, tendência que deve aumentar ainda mais. O país está investindo pesado nessa tecnologia e pretende se tornar  uma “economia do hidrogênio” nas próximas décadas. No mês passado, foi posto em prática um experimento perto das usinas geotérmicas de  Reykjavik  para testar a viabilidade de se estocar carbono criando emendas de calcário no subsolo. Se tudo ocorrer como esperado, o dióxido de carbono ficará permanentemente aprisionado no solo, o que deve permitir que usinas geotérmicas se livrem dos dióxidos de carbono que elas trazem das profundezas e se tornem efetivamente neutras.

2.Malmö, Suécia

Pioneira na utilização de energia renovável, Malmö também é apontada como a primeira cidade de Troca Justa da Suécia. Ali, o governo tem incentivado o consumo de mercadorias locais produzidas eticamente, promovendo a conscientização dos seus habitantes sobre a importância de se estabelecer um mercado justo e sustentável. A cidade recicla mais de 70% do lixo coletado e os resíduos orgânicos são reaproveitados para a fabricação de biocombustíveis que, juntamente com a energia hidrelétrica, solar e eólica, alimenta o Western Harbor, uma comunidade 100% dependente de energia limpa. Além disso, Malmö possui mais de 400 quilômetros de ciclovias em seu território ­– cinco quilômetro s a mais Copenhague, na Dinamarca–, sendo a cidade sueca com maior número de vias para ciclistas. No ano passado, o uso das bicicletas aumentou 11% e 40% dos deslocamentos relacionados ao trabalho foram feitos utilizando a magrela.

3.Vancouver, Canadá

Líder do ranking das cidades mais habitáveis do mundo por quase dez anos, Vancouver é a cidade da América do Norte com a menor pegada de carbono. Mais de 200 parques esverdeam a sua área urbana e pelo menos 90% da sua energia já provém de fontes renováveis. Em 2005, o governo colocou em prática uma estratégia para que todos os edifícios construídos na cidade oferecessem uma melhor performance ambiental. Desde então, disponibiliza para a população todas as informações necessárias sobre como diminuir o impacto de suas residências e oferece incentivos para que seus habitantes façam uso de energia solar. Até 2020, a cidade pretende neutralizar toda a emissão de gases estufa proveniente dos seus edifícios, que hoje são responsáveis por 55% das emissões de Vancouver.

Por quase 10 anos, Vancouver liderou o ranking das cidades mais habitáveis do mundo, foto:R.Fun

4.Copenhague, Dinamarca

Quando o assunto é ecocidade, Copenhague é um dos principais nomes que devem vir à sua cabeça. No ano passado, ela ficou entre as cidades Mais Habitáveis do mundo, de acordo com a classificação da revista Monocle, e faturou o título de Melhor Cidade para Ciclistas. Cerca de 40% de sua população pedala diariamente para se deslocar pela área urbana e foi lá que surgiu pela primeira vez o empréstimo público de bicicletas. Desde 1990, a cidade conseguiu reduzir suas emissões de carbono em 25% e até 2015 o governo pretende transformá-la na ecometrópole número um do mundo. Além do investimento em fontes limpas de energia – lá foi inaugurada, em 2001, um dos maiores parques eólicos marítimos do mundo –, Copenhague é elogiada pelos esforços desenvolvidos na última década para manter as águas de seu porto limpas, local tão seguro que hoje pode até receber banhistas.

5.Portland, Estados Unidos

Ela tem inspirado outros centros americanos a incluir espaços verdes em seu planejamento urbano. Para conservar os áreas vegetativas em sua volta, foi estabelecido um limite para o avanço da urbanização da cidade, que conta com 92 mil acres de  área verde  e mais de 300 quilômetros de ciclovias. Portland foi a primeira cidade dos Estados Unidos a aprovar um plano para reduzir as emissões de dióxido de carbono e tem promovido sistematicamente a construção de prédios verdes. Além disso, cerca de 40% de sua população utiliza ou a bicicleta ou o transporte coletivo para ir ao trabalho e, desde de outubro, o governo recolhe os resíduos orgânicos, que são enviados para centros de compostagem. Hoje, metade da energia utilizada pela cidade é obtida a partir de fontes limpas, como a luz solar e o aproveitamento de resíduos para a produção de biocombustível.

6.Bahia de Caráquez, Equador

A Bahia de Ceráquez é um verdadeiro paraíso para os ecoturistas. Nos anos 90, o local foi devastado ao ser atingido por um terremoto. Então, o governo e  algumas ONGs decidiram reconstruí-la como uma cidade sustentável. Eles desenvolveram programas para conservar a biodiversidade local e controlar a erosão, implantaram esquemas de incentivo à agricultura orgânica e de reutilização  dos resíduos privados e dos mercados públicos na compostagem. É de lá a primeira fazenda orgânica certificada de camarões.

7. São Francisco, Estados Unidos

Ela foi a primeira cidade americana a banir o uso de sacolinhas plásticas e brinquedos infantis fabricados com produtos químicos questionáveis. São Francisco é também uma das cidades líderes na construção de prédios verdes e já possui mais 100 deles. Quase metade dos seus habitantes utiliza o transporte publico ou a bicicleta para se locomover todos os dias e mais de 17% da população faz bom proveito dos parques e das áreas verdes da cidade. Em 2001, os eleitores aprovaram um incentivo de 100 milhões de dólares para o financiamento da instalação de painéis solares e turbinas eólicas e de reformas para tornar as instalações públicas da cidade mais energeticamente eficientes.

São Francisco foi a primeira cidade americana a banir o uso de sacolas plásticas, foto: Billy Gast

8. Sidney, Austrália

A Austrália foi o primeiro país a banir as lâmpadas incandescentes, substituindo-as por modelos mais energeticamente eficientes. Em Sidney, as emissões de gases estufa diminuíram 18% apenas com a reforma de suas instalações públicas. Além disso, lá foi colocado em prática um projeto de uma rede regional de bicicletas que deve unir 164 bairros. Com essas medidas, o uso da magrela triplicou nas áreas em a rede foi instalada. Também foi em Sidney que surgiu a Hora do Planeta, em que toda a cidade desligou as luzes por 1 hora para chamar atenção para o problema do aquecimento global.

9. Freiburg, Alemanha

Desde que foi reconstruída após a Segunda Guerra Mundial, Freiburg vem experimentando o modo de vida sustentável. É lá que se encontra a famosa Vauban, uma vila de 5 mil habitantes criada para servir de distrito modelo de sustentabilidade. Todas as casas são construídas de maneira a provocar o menor impacto possível no meio ambiente, mas ela é conhecida mesmo por ser uma comunidade livre de automóveis e que incentiva modos mais ecológicos de deslocamento. Em Freiburg também existe uma vila totalmente abastecida por energia solar.

10. Curitiba, Brasil

Ela não é chamada de cidade modelo à toa. Seu eficiente transporte público é utilizado por 70% da população e, se consideradas somente as metrópoles verdes, ou seja, centros urbanos de grande porte, Curitiba só perde para Copenhague no índice de menor emissão de dióxido de carbono per capita e para Vancouver no quesito produção de energia renovável. A cidade possui ainda um bom programa de conservação da biodiversidade e de reflorestamento de espécies nativas e tem uma área verde de 51 metros quadrados por habitante.

 

Post editado em 05/10/2011: nos comentários, nossos leitores criticaram a falta de um método objetivo para a escolha dessa seleção de cidades sob o título “As 10 cidades mais sustentáveis do mundo”. Achamos que o texto foi bem pesquisado e está bem feito, mas concordamos com o argumento. Por isso, consideramos que o post não é mais um ranking, uma lista de posições, mas uma seleção de cidades que se destacam. Curitiba, representando a América Latina, certamente merece estar na lista, como mostram vários links de textos nacionais e internacionais sobre o tema. Eduardo Pegurier, editor de Cidades.



Tags: , , , ,

35 respostas para “10 cidades sustentáveis do mundo”

  1. lariissa disse:

    Tem uma cidade brasileira no meio soh porque foram brasileiros que fizeram uma selecao. Alias, nem San Fran deveria estar no meio! Nenhuma cidade da Holanda, hahahhaha. Voces estao de brincadeira.Desculpe mas, varias e vairas capitais do norte europeu, Escandinavia, estao ha anos luz do que qualquer coisa que possa haver no sentido no Brasil e ate EUA.

    • Larissa disse:

      Curitiba foi eleita pela Globe Award Sustenaible City a cidade mais sustentável do PLANETA. Acho que a colocação dela no ranking foi até baixa.

  2. Antonio disse:

    Vamos rever essa lista turma. Varios erros de informação.

  3. lariissa disse:

    Acho que quem fez a lista nao deve ter morado numa metropole realmente sustentavel. Voces sabem o que eh , por exemplo, poder utilizar bicicleta como meio de transporte, e nao apenas como lazer? Cidades que tem ciclovias em 100% das ruas? Cidades que reciclam os lixos e que a populacao tem consciencia de que deve-se desperdicar menos, logo, produzem menos lixo, consomem menos. Alem de consumir menos agua. Visto isso, como uma cidade brasileiar e nao uma holandesa, qualquer uma holandesa diga-se de passagem, outras escandinavas como Estocolmo, podem estar nessa lista? Absurdo. Tenham mais consciencia critica. Julgar cidades sustentaveis baseadas no nacionalismo e chauvinismo de voces nao ajudam em nada. O povo brasileiro tem que ter consciencia que esta ha anos e anos e anos luz de ter alguma cidade sustentavel. Justamente pra ter iniciativa pra mudar alguma coisa.

  4. Thiago disse:

    Não entendi os critérios. Acho que uma cidade sustentável envolve muito mais coisa. E Poconé, porque não aparece na lista?

  5. joana disse:

    Muito orgulhosa de morar em Curitiba.Minha querida cidade, parabéns por merecer estar entre as 10 sustentáveis…

  6. Ruy Thomaz disse:

    Minha gente o que falar diante de tais maravilhas, possibilidades, realizações. Isso que nos é hoje mostrado, entendíamos como sonho, agora está aí para que quizer e puder ver. Mas o mais importante é fazermos nossa parte e aderir, nãose esquecendo que o melhor caminho é o da coerência, fazer a nossa parte individualmente é o principal passo,nãose esqueçam, de evitar as sacolas plásticas em seu dia a dia, uso racional da água, transporte coletivo, bicicleta, caminhada, etc…
    Um forte Ecosolidário abraço, Ruy.

  7. João Augusto Marasy disse:

    Bem, sempre tem aquele risco de fazer jornalismo pela internet e falar bobeira. Curitiba já foi uma referência em transporte público há duas ou três décadas. Realmente é um dos menos piores que conheço (o metrô é muito mais eficiente e verde em muitos aspectos). Aqui, na capital paranaense a Força Verde não funciona, as araucárias continuam sendo derrubadas aos montes, eu mesmo presenciei este crime em um terreno coberto de árvores perto de casa coberto de árvores nativas. Em apenas uma manhã, 8 caminhões e mais de 20 funcionários fizeram a limpa e apagaram um registro florestal milenar para entulhar sobrados sem planejamento e nenhum tipo de perfil sustentável. O mercado imibiliário de Curitiba, que cresce como poucos no mundo, faz o que quer. Essa ilusaozinha de que Curitiba realmente é sustentável é de uma superficialidade de dar dó. Nossos rios são podres. Nosso ar é péssimo. Como disse a colega lá em cima, ciclovia aqui é só para passeio, não existem linhas funcionais. Vejo acidentes no trânsito do centro no qual motoristas esmagam bicicletas. Nascentes aqui são sinônimo de empecilho de engenharia. Realmente, se você não conhece um lugar, deve ao menos conversar com quem conhece. Ficar fazendo jornalismo em cima da cartilha do Cidades Sustentáveis dá nisso: ao invés de ajudar o meio ambiente, acaba usando informações bobocas para quem não conhece achar que aqui é tudo lindo e, uma vez sedado, ficar tranquilo. Este site é ótimo. Mas essa matéria é péssima. Como disse o amigo acima, sem critérios minimamente aceitáveis.

  8. @andrek91 disse:

    Me desculpe mas citar Curitiba como uma das cidade mais sustentáveis do mundo para min não é válido. Moro aqui e sei como funciona o sistema. Nessa cidade tudo funciona na base do marketing. Acredito que esses dados usados na reportagem estão MUITO desatualizados.

    • Ronaldo Pereira disse:

      Moro no Rio, e Curitiba, cabe sim na lista, as referencias não estão tão desatualizadas, é só verificas quantas delegações nacionais e internacionais vão a cidade para estuda-la. Como sempre o Curitibano distorcendo a própria cidade, não se vê um Paulista falando mau de SP, do Carioca do Rio, de Porto Alegre, etc, só vocês, conheça outros lugares primeiro, leiam mais, se informem primeiro, Parabéns Curitiba.

  9. @IngridCicca disse:

    E Butão? Por que não está na lista?

  10. Renato Prado disse:

    Haaaa, se Curitiba pode, bota também Cubatão…

  11. Marlene Zannin disse:

    Corroborando com alguns comentários, também não concordo com esta lista, pelo menos no que diz respeito a Curitiba. Gostaria de saber quem é a comissão julgadora e quais foram os critérios para a eleição das "10". Curitiba está no caminho, mas não vamos nivelar por baixo. É só olhar a situação do Rio Iguaçu quando passa pela cidade, região onde a poluição só perde pro rio Tietê, portanto, o segundo mais poluído do Brasil, e não há um só córrego na cidade que tenha sobrevivido ao despejo de esgoto. Não se olvida das coisas boas, por óbvio, mas sustentabilidade é muito mais do que aparência. Não vamos deseducar a cidadania. Como diz o ditado: "Por fora bela viola, por dentro pão bolorento".

  12. iniciativaverdetgi disse:

    Parâmetros muito vagos para definir uma "cidade sustentável". O Eco deveria rever este tipo de publicação.

  13. Henrique disse:

    Curitiba é motivo de orgulho pra qualquer brasileiro. É uma cidade que já se preocupava em reciclar lixo quando a maioria nem sabia o que era isso; seu transporte coletivo é quase totalmente movido a biocombustível; é uma das cidades mais limpas que conheço, as pessoas não tem a cultura de jogar lixo na rua e existe sim muita área verde preservada e de reflorestamento. A revista está de parabéns, não tem o que corrigir! Os que criticaram que se informem melhor.

    • @andrek91 disse:

      Você tem razão na reciclagem, Jaime Lerner mudou nosso hábito faz tempo aqui! O problema é que depois que as pessoas separam o lixo será que eles são reciclados mesmo? Conheço gente que disse que nós separamos, mas as autoridades não cumprem seu dever reciclando efetivamente. Se é realidade, não sei, mas seria ótimo investigar. Os ônibus movidos a biocombustível são poucos em relação a frota inteira. A cidade realmente, é relativamente limpa. Boas áreas verdes somente na região central e um pouco ao norte. Curitiba pode estar melhor que outras cidades brasileiras em área verde e urbanismo, mas a região sul é desmatada e mal cuidada.

      • Olá Andre, obrigado pelo comentário. Todo o debate que está ocorrendo nesse post nos motiva a planejar um post sobre Curitiba. Até que ponto a cidade chegou lá, o que os exigentes curitibanos ainda demandam? Não posso prometer a data exata, mas vamos fazer e usaremos o feedback que recebemos dos leitores no debate desse texto.

  14. Eduardo de Castro disse:

    Sempre existe o que corrigir. Inclusive em Curitiba…

  15. Alexandra Oliveira disse:

    Muito bom ! Devemos seguir estes exemplos,que bom deve ser viver em alguma cidades dessas,meu sonho!!!!!!!!!!!!!!!!Parabéns pela postagem.Que critério são usados para que escolhas estas ou aquelas cidades?

  16. Alto lá. Curitiba é "sustentável"? Que grande piada. Acreditar nisso é o mesmo que acreditar em Papai Noel. Palavra de curitibano. Moro aqui e conheço bem o abismo entre nossa realidade e o marketing reluzente que se faz dessa capital. (O comentário de João Augusto Marasy que o diga).

    "Ela não é chamada de cidade modelo à toa." De fato não é à toa. É porque, desde os anos 1960, a prefeitura vem investindo pesado no city marketing. Que, aliás, tem funcionado muito bem — atraindo investimentos de todas as partes (muitos deles, a propósito, altamente poluidores). A tal pesquisa aí é mais uma prova da eficiência desse mercado de ilusões.

    Ou a metodologia foi de ingenuidade ímpar; ou as informações coletadas não passaram por análises sérias. Sou fã de O Eco, mas nessa o pessoal vacilou. Valeu a intenção.

  17. corretor de erros disse:

    vancouver, não é uma cidade norte-americana como diz na primeira linha. Que erro fatal.

  18. Douglas disse:

    lixo de materia

  19. claudia disse:

    nunca vi isso na vida e tudo mentira ! osso vcs escreve tudo errado pooooooooooooo

  20. Rafaela disse:

    A verdade é que todo mundo adora criticar Curitiba, mas ninguém se coloca no lugar pra ajudar a cidade. Ela pode não ser a cidade perfeita.. Mas, com toda a certeza é uma das melhores cidades do Brasil. E mesmo tendo todas esses '' defeitos '' ditos ai em cima, ela ainda ganha com a suas qualidades.. A cidade querendo ou não é limpa.. Não estou dizendo que é totalmente limpa.. mas né? Convenhamos, se a rua da tua casa é suja, cabe a você mesmo ajudar a limpar! Por que todos querem ajudar, todos querem tudo na mão, mas ninguém dá uma mãosinha pra ajudar! Mas por fim a cidade em si, é limpa. Os rios, existe sim aqueles sujos e imundos, que até sofá se duvidar tem.. Acontece que nem todos os rios que tem por aqui é sujo, existe muitos, e desses muitos, também são limpos. A cidade é cheia de parques, muitas arvores, tem uma grande área verde dentro de si.. E quando eu digo grande, é grande mesmo. Então, vocês que dizem que a cidade não é tudo isso, parem de ficar criticando, ficar falando, porque falar por falar não vai mudar em nada. Comece a agir, quem sabe um dia a cidade chega nos pés do que vocês tanto desejam.. Perfeita!

    • Ronaldo Pereira disse:

      Nunca vejo a população de outras cidades criticar a própria, como os Curitibanos, nossa que povinho em, conheçam o Brasil primeiro, Curitiba tem problemas sim, mas perto de outras, a cidade é sim exemplo, Curitibanos vão ler mais e tenham orgulho da cidade, porque quem cuida ama, quem critica de mais é que odeia, melhor, deixe a cidade, só não venha para minha.

  21. [...] em http://www.ecocidades.com/2011/09/08/dez-cidades-sustentaveis-do-mundo/ Related Posts SliderMais posts: Player de áudio online para tirar música grudenta da [...]

  22. carla disse:

    O legal desta reportagem é justamente a crítica e os questionamentos que surgiram. Adorei os diferentes posicionamentos… Que critérios foram usados para se definir as 10 cidades mais sustentáveis? Curitiba está de parabéns pela quantidade e qualidade de suas áreas verdes e parques, porém isto apenas não a faz ser uma cidade sustentável. É necessário definir parâmetros para julgamentos mais preciso…

Deixe uma resposta

*