Horta urbana comunitária encoraja estilo de vida mais verde

Luana Caires
30.06.2011

 
Achar um espaço para cultivar vegetais em plena Manhattan não é uma tarefa muito fácil, mas, graças à ideia de um grupo de estudantes e ao apoio do Battery Conservancy, os habitantes da área central dessa região têm a chance de plantar alimentos orgânicos. Eles criaram uma horta comunitária, localizada em um parque público, que já produz seus primeiros nabos, abobrinhas, ervilhas, alfaces e rabanetes.

Idealizada pelo designer Scott Dougan, a horta de 1 acre de superfície tem um formato nada usual, como você pode conferir no vídeo acima (em inglês). O desenho foi inspirado em Zelda, um peru que um dia apareceu misteriosamente no parque Battery e se tornou uma espécie de mascote do local. A área em que são plantados os vegetais é protegida por uma cerca de bambus.

O objetivo desse projeto era encorajar hábitos mais saudáveis de alimentação e incentivar um estilo de vida mais verde, e tudo indica que a estratégia esteja funcionando, pelo menos com os mais jovens. Nesta semana, um grupo de estudantes, também envolvido no plantio, realizou a primeira colheita da hortinha. Muitos deles não tiveram a oportunidade de provar os produtos que plantaram, mas aqueles que se arriscaram notaram que até o gosto dos vegetais orgânicos era melhor do que aqueles que seus pais compravam no supermercado.

Apesar de se mostrarem bastante hesitantes no começo da experiência, os estudantes logo se envolveram na atividade e perderam o medo de botar as mãos na terra. E a participação não é restrita aos jovens. Qualquer pessoa da comunidade pode se voluntariar para participar do plantio e da colheita fazendo uma inscrição online. O resultado do projeto foi tão bom que o Battery Conservancy está planejando organizar uma feira de orgânicos em frente à horta durante o mês de julho para comercializar os 20 tipos de vegetais produzidos no parque.

A parte triste da história é que a horta urbana só deve ser mantida até o início de 2013, quando será desativada para dar lugar a uma ciclovia. Menos mau.

 

Leia também:

Reciclagem + Criatividade = Fazenda na Janela

- Cogumelos cultivados em túneis e outras sacadas de agricultura urbana

Regue com o sol

- Falta espaço? Recorra a uma horta móvel

 

Via: Inhabitat



Tags: ,




Reciclagem + Criatividade = Fazenda na Janela

Luana Caires
06.12.2010

Quem disse que é preciso ter quintal ou varanda para começar uma horta urbana? Buscando uma maneira de cultivar vegetais em espaços pequenos, a americana Britta Riley recorreu a uma solução criativa: a utilização de um sistema vertical de cultivo hidropônico – conhecido como Windowfarmideal para produzir morangos, tomates, alfaces e ervas na janela de um apartamento mesmo durante o inverno rigoroso do hemisfério norte. O seu funcionamento é bem simples. Uma bomba de ar promove a circulação de uma solução de água e nutrientes entre uma coluna de garrafas pet, onde são colocadas as plantas. O líquido não absorvido pelos vegetais retorna ao reservatório e é novamente bombeado para o primeiro frasco, dando início a um novo ciclo. Quase todo o material necessário para a construção desse modelo é reciclado e, lá fora,  ele pode ser montado com 30 dólares (cerca de 50 reais).

Olha que bela Windowfarm

Decidida a difundir e aperfeiçoar esse sistema, Riley deu início ao Windowfarms Project, uma plataforma online em que os adeptos do cultivo hidropônico vertical identificam problemas e discutem soluções para melhorar o seu funcionamento. Graças à colaboração dos membros do projeto, já foi possível melhorar o design e a eficiência do equipamento, que se tornou mais produtivo, menos barulhento e mais fácil de manter.

No entanto, o principal objetivo desse projeto não é criar um produto perfeito, mas incentivar os seus participantes a encontrar soluções criativas para o seu dia-a-dia e compartilhar os resultados com outras pessoas, processo que Riley chama de Research and Develop It Yourself (algo como “Pesquise e faça você mesmo” em português). Hoje em dia, a comunidade dos windowfarmers tem cerca de 13 mil membros espalhados pelos Estados Unidos, Europa e Ásia que, além de ter alimentos frescos o ano todo, contribuem com novas ideias para levar uma vida mais sustentável.

Garrafas recicladas, foto: Windowfarms

.Dica: Adriana Sansão




Tags: ,




Berinjelas na varanda

Eduardo Pegurier
25.11.2010

foto: Jared Braiterman

Mais um dia de guerra no Rio de Janeiro, de onde escrevo esse post. Então, para espairecer, pelo menos um pouco, fui à Tóquio, quer dizer, para o ótimo Tokyo Green Space (Espaços verdes de Tóquio), blog do antropólogo Jared Braiterman, que vive lá e explora cada cantinho interessante, produtivo e aprazível da cidade.

Descobri que ele planta berinjelas na varanda do seu apartamento. Jared me contou como fez:

– Hi Eduardo, comprei mudas de vegetais diferentes, umas sacolas de lona muito legais como recipientes e raspas de côco orgânico para solo. Plantei-as, reguei… fui cuidadoso com elas. Estou cultivando entre 50 e 100 plantas na minha pequena varanda que pega sol do sul. É um processo de tentativa e erro. Não consegui cultivar milho nesse local, mas berinjelas, pepinos e ervas foram fáceis e divertidas de produzir.

Obrigado, Jared. Sua horta animou meu dia.



Tags: ,




Cogumelos cultivados em túneis e outras sacadas de agricultura urbana

Eduardo Pegurier
19.10.2010

Nem sempre a agricultura precisa de grandes espaços. Que tal plantar morangos em canos, cogumelos em túneis abandonados e laranjas na varanda? Os morangos são travessura de Rowena e Philip Mansfield, um casal que mora nos País de Gales, Grã-Bretanha. Eles já colheram 34 kg cultivados em canos usados para drenagem. “Acho que devemos prestar atenção na necessidade de produzir comida por todos os meios possíveis”, diz Philip. Existem milhares de prédios vazios que poderiam ser utilizados para agricultura que abasteça a comunidade local”.

O morango saiu pelo cano

Já na Austrália, Noel Arrold, especialista em microbiologia resolveu usar túneis ferroviarios abandonados para plantar cogumelos exóticos, como as espécies ostra-rosa e enoki dourado (foto abaixo), que se desenvolvem sobre uma base de serragem de eucalipto. A combinação mimetiza o clima de florestas úmidas.

Cogumelos do tipo ostra-rosa e enoki dourado

Sua produção chega a 1,5 toneladas por semana. É menos do que os produtores comerciais costumam obter, mas o uso de espécies de alto valor compensa a falta de escala.

Que tal produzir cogumelos raros em um túnel abandonado?

E, no Japão, um cidadão criativo tem um pequeno laranjal na varanda de casa. Esses e outros lugares inesperados para manter uma horta foram colecionados pela jornalista Helen Babbs. Leia o artigo completo aqui.

Laranja na varanda. Se esticar a mão dá para pegar.

Via The Ecologist

Dica de Urban Demographics



Tags:




Compostagem, mais viço em sua horta

Lúcia Nascimento
20.09.2010

Se você fizer direitinho, não vai cheirar - foto: Derektor

Mesmo com boa luz e suprimento de água suas plantas estão fraquinhas e morrendo? Então, está na hora de lançar mão da compostagem para melhor nutri-las. Não tem desculpa. Dá para fazer na área do apartamento e não pede mais do que 5 minutos para o preparo. O resultado é capaz de resgatar a vitalidade da planta. Mas ao trabalho, porque, depois de feita, a mistura necessária ainda terá que esperar dois meses para ser usada.

Com dicas da Recicloteca, veja como preparar a compostagem de material orgânico e esterco. Quanto ao possível mau cheiro, não se preocupe, isso já foi pensado.

Material:

  • Antes de mais nada, para se proteger de microorganismos, descole um bom par de luvas de jardinagem
  • Restos de frutas, cascas e folhas, além de vegetais que estão apodrecendo e não podem mais ser consumidos
  • Um saquinho de esterco
  • Borra de café
  • Um pouco de terra seca retirada de vasinhos em que as plantas morreram (se necessário, tanto a terra quanto o esterco podem ser adquiridos em lojas de jardinagem e até em alguns supermercados)
  • Um recipiente retangular, de plástico, com lateral de 10 a 20 cm de altura e pequenos furos na base

Como fazer:

  • Comece com uma fina camada de terra seca na base do recipiente retangular
  • Acrescente outra camada com restos orgânicos picados e, em seguida, espalhe um pouco de esterco
  • Sobreponha uma terceira camada com terra, pequenos pedaços de restos orgânicos e esterco
  • Por fim, coloque no topo um pouco da borra de café. Ela vai neutralizar o cheiro e afastar os insetos. Importante: para conter o cheiro, não use restos de animais
  • Feche o recipiente e, a cada 3 dias, abra e revire o composto

Ao final de 2 meses a terra estará adubada e pronta para ser jogada nos vasinhos, para dar vida nova às plantas.

Confira o vídeo da Recicloteca, com um detalhado passo a passo



Tags:




Regue com o sol

Lúcia Nascimento
27.08.2010

foto: Swirling Thoughts

Menta - mesmo moderada, não dispensa um bronzeado

.

“Embora tenha muita claridade, meu apartamento tem problema de sol direto. Será que existem ervas que prescindem dele?”

A pergunta é de Jussara Maia, que mora em Canoas, Rio Grande do Sul. Corremos atrás da resposta.

Infelizmente, não dá para dispensar a luz solar direta. Deixar debaixo de uma luminária não é suficiente, pois, incluindo os temperos, todas as plantas precisam de pelo menos algumas horas de insolação por dia. Mas algumas variedades não são muito exigentes. Eis aqui alguns exemplos, cada um com sua necessidade de sol destacada (fonte: site Sabor de Fazenda):

Alecrim (5 a 6 horas de sol por dia)
Essa é das plantas amigas de sol. Pode ficar no lugar mais ensolarado da casa que se dará muito bem. Se for possível, coloque-a em uma floreira na janela, para que ela se beneficie da luz solar direta. Ela prefere solos secos, mas consegue crescer em qualquer terreno, desde que bem drenado. Na cozinha, serve para temperar carnes e legumes.

Hortelã (4 horas de sol por dia)
Desenvolve-se bem em ambientes ensolarados, mas também aceita ficar em locais levemente sombreados. Portanto, pode ficar ali mesmo na sua cozinha, ao lado de onde se transformará em um delicioso tempero de quibes, peixes ou até mesmo de sobremesas. Só não esqueça o preparo do solo: é importante que ele esteja sempre úmido e seja rico em matéria orgânica.

Manjericão (3 a 4 horas de sol por dia)
De gosto forte e atraente, esse tempero é dos que menos precisa se bronzear. Mesmo assim, não pode ficar no escuro completo e o ideal é que receba luz solar por pelo menos 3 horas diárias. Costuma crescer muito na vertical e o truque para que fique mais “cheio” é podar com frequência, estimulando novas brotações. Gosta de solos bastante férteis, então não se esqueça de adubar.

Menta (3 a 4 horas de sol por dia)
Não gosta muito de sol e, então, locais sombreados da casa são uma boa pedida. Exige solo sempre fértil, úmido e bem drenado. Tem muitos usos: chá ou delicioso suco no verão. Pode ser incluída no preparo de doces.

Para uma relação bem completa, clique na imagem abaixo e confira o site Sabor de Fazenda

Relação de ervas e temperos - site Sabor de Fazenda

Você tem uma horta urbana ou questões sobre como mantê-la? Compartilhe com a gente. Nós pesquisaremos a sua dúvida. E se quiser nos relatar a sua experiência, mande. Nós a publicaremos. Não se esqueça de mandar uma foto legal.



Tags:




Falta espaço? Recorra a uma horta móvel

Lúcia Nascimento
20.08.2010

Acredite, isso é uma plantação de batatas - foto: Tony Buser

Grandes cidades não são feitas apenas de apartamentos sem espaço para o verde. Também há as casas em que o espaço ao ar livre é tão pequeno que mal cabe um vasinho de flores. Mas nem nesses casos há desculpas para não ter sua própria plantação de temperos. Ela pode ser feita em pneus, por exemplo, que não precisam de um espaço fixo. Pela manhã, a horta é colocada no local em que mais bate sol. À noite, pode repousar na garagem ou em qualquer outra parte da casa. Ficou curioso? Siga as instruções e a ilustração abaixo para montar a sua plantação móvel.

  • Pegue um pneu velho e coloque-o deitado no chão
  • Corte a parte lateral superior com uma faca afiada, dividindo o pneu em duas metades iguais
  • Cubra a base com um pedaço de tela de arame. Após, coloque um pedaço de plástico grande, que consiga cobrir toda a base e parte dos lados internos do pneu
  • Pegue a segunda metade, a parte lateral superior do pneu (que foi cortada) e vire-a de cabeça para baixo, deixando-a na mesma posição da outra metade. Encaixe-a bem justa sobre a lateral inferior, para manter o plástico seguro no lugar
  • Coloque a terra e plante seus temperos favoritos, segundo essas dicas.

Não se esqueça de deixar a hortinha móvel no sol por pelo menos quatro horas diárias. Depois, carregue-a para onde achar melhor.

Horta móvel montada em pneu - fonte: Tearfund International Learning Zone

.

Você tem uma horta urbana? Conte-nos e mande uma foto legal. Nós publicaremos a sua experiência.

.



Tags:




Horta urbana: quando as pragas atacam

Lúcia Nascimento
13.08.2010

Ele é bonitinho, mas está comendo o meu manjericão - foto: Edudflog

Ter uma horta em casa é ótimo até que… surgem as pragas. Apesar de potencialmente destruidoras, é fácil detectá-las. A planta para de crescer, perde vitalidade e, em alguns casos, é possível até ver bichinhos quase microscópicos andando entre as folhas. A solução é contra-atacar com “pesticidas” caseiros que, claro, não têm químicos.

— Recomendo o fumo de corda, que é natural. As pessoas jamais devem utilizar agrotóxicos em casa, principalmente se tiverem crianças ou animais no local, sugere o agrônomo Alexandre Furcolin. Confira a receita caseira fornecida por ele para dois pesticidas ecológicos:

Fumo de corda – pique fumo de corda e coloque em álcool, na proporção de 10 gramas para 50 mililitros, acrescentando a mesma quantidade de água. Deixe curtir por 15 dias e, então, dissolva 10 gramas de sabão neutro em 1 litro de água e acrescente à mistura. Pulverize a planta atingida.

Mistura de camomila – misture 50 gramas de flores de camomila a 1 litro de água e deixe curtir por três dias. Durante esse tempo, agite o conteúdo quatro vezes ao dia. Para usá-la, coe e pulverize na planta.

Essas quantidades são suficientes para pulverizar alguns vasos, por pelo menos um mês, a cada dois dias.

Seja em casa ou apartamento, você já tem a sua horta urbana? Compartilhe conosco as suas experiências e dúvidas.



Tags:




Plante uma horta no seu apartamento

Lúcia Nascimento
12.08.2010

Tomando sol na janela manjericão, alecrim, cebolinha e tomilho - foto:Eric Allix Rogers

Quando pensamos em horta, a imagem que vem à cabeça são aqueles grandes espaços de terra, em locais tranquilos e pouco habitados do campo. Mas os moradores de grandes cidades cada vez mais têm descoberto as vantagens – e facilidades – de se criar pequenas plantações dentro de apartamentos. São ótimas para cultivar ervas usadas para tempero, como manjericão, manjerona, cebolinha, hortelã, sálvia ou capim-limão.

A primeira vantagem é evitar o desperdício, já que muitas plantinhas amarelam poucas horas depois de chegarem da feira. A segunda vantagem é que, cultivando a própria comida, há garantia de que ela está livre de agrotóxicos. O custo não passa de R$ 10 ou R$ 15 por floreira e o tempo de preparo da terra, uns 10 minutos, além da rega diária. Onde deixar os vasinhos? Na varanda, na janela, até mesmo no varal (pendurada por um pregador). A única exigência é que bata sol, de preferência pela manhã.

Confira um passo a passo para montar a sua horta de apartamento.

  • Compre uma floreira ou prepare um recipiente – vale até mesmo as cestinhas em que são colocados os pregadores (boas opções para serem penduradas no varal ou com uma cordinha, perto da janela).
  • No fundo do vaso, coloque brita, pedras, carvão ou bolinhas de argila.
  • Depois, coloque a terra, deixando ainda um bom espaço para a superfície. Para iniciantes, vale comprar a terra já preparada (ela deve ser mista: 1/3 da vermelha, 1/3 da preta e 1/3 de húmus de minhoca e areia, tudo misturado)
  • Insira a muda escolhida (os temperos, como o manjericão, são boa opção para começar), mas não force, para que a raiz não fique machucada. Logo depois, cubra com mais terra. Por cima, podem ser colocadas pedras para enfeitar.
  • Agora é só regar e esperar que sua plantinha renda bons temperos.

Gostou do assunto? No post de amanhã, aprenda a preparar “pesticidas caseiros”, que reavivam plantas destruídas por parasitas. E não deixe de conferir a demonstração da paisagista Kátia de Camargo, no vídeo produzido pela Veja.com.



Tags: